Concurso Palacio Pereira

  • Texto
low_CRPP_FACHADA_03.jpglow_CRPP_TRAUMA_02.jpglow_CRPP_PASSARELA_02.jpglow_CRPP_PATIO_02.jpglow_CRPP_GALERIA_02.jpg
Concurso Palacio Pereira

São fundamentos de nosso projeto de intervenção:


- Preservar o que de melhor criamos e construímos no passado sob pena de nos aprisionarmos num presente desfigurador;


- Apostar no novo como ingrediente fundamental de afirmação e transformação de nossas comunidades e do conjunto da sociedade;


- Encarar a cultura como algo que vai da tradição à invenção que, num processo dialético, se fundem para dar lugar ao contemporâneo;


- Extrair do próprio Palácio Pereira, as diretrizes que irão gerar o novo bloco. E este, por sua vez como um contraponto, deverá resignificar o palácio, dar novo status ao patrimônio construído;


- Estabelecer entre antigo e novo uma relação de respeito e complementaridade, sem sobrepujança e sem submissão: convivência.


O edifício antigo


Tomamos a decisão de abrir os espaços internos do Palácio Pereira, criar comunicabilidade visual, para evidenciar seus princípios e fundamentos projetuais clássicos, como a simetria, a clareza construtiva, a escala monumental e o requinte de detalhes e acabamentos.


A galeria cruciforme, que define os quatro quadrantes, será o espaço nobre para se apreciar toda a riqueza arquitetônica do palácio, uma espécie de memorial do próprio edifício. Com sua luz zenital, poderá também abrigar exposições temáticas temporárias.


Utilizamos fechamentos reversíveis de aço e/ou vidro nos vãos existentes, como forma de evidenciar a escala e o traçado original do Palácio.


A galeria e as fachadas deverão ser restauradas em sua plenitude, recuperando a composição arquitetônica original. Para as demais áreas internas, adotamos o princípio da consolidação e estabilização das partes arruinadas, deixando as marcas do tempo como testemunho do passado, sem comprometer novos usos e funções. Assim, ornamentos e pinturas serão estabilizados.


Em contraponto a estes, utilizando distintos materiais, texturas e cores, procuramos evidenciar nossas novas intervenções e complementos de restauro.


O Pátio


Em nível com a galeria criamos um novo pátio a partir da memória do antigo pátio do Palácio, com a implantação do novo edifício em “U”. A partir deste espaço mediador poderemos ler claramente os edifícios antigo e novo através dos diferentes materiais, técnicas e formas construtivas.


De um lado, o Palácio com suas paredes rugosas de tijolos antigos; do outro, dois muros verticais em concreto aparente pigmentado, separados por uma fenda central, que acentua o eixo da galeria cruciforme do Palácio, retomando a ideia forte da simetria. A partir do pátio, com seu pavimento de pedras roladas ancestrais e com a releitura da antiga fonte, agora como iluminação zenital do auditório, poderemos experimentar a relação de convivência de elementos arqueológicos e contemporâneos, que vai da harmonia à tensão e vice versa; um diálogo de épocas, separadas por mais de um século.


O quarto quadrante


Um novo bloco em vidro e aço é o elemento chave do projeto que deverá organizar todos os fluxos verticais e horizontais, além de articular antigo e novo. Ocupando o vazio do quarto quadrante - hoje inexistente, este bloco complementará simetricamente o Palácio Pereira, como um volume negativo, transparente, como um “trauma” que denuncia a vida do edifício ao longo do tempo.


A partir do pavimento térreo, como continuidade do pátio interno, um piso na diagonal do quadrado funcionará como convite visual ao foyer do auditório, localizado no subsolo, e à escala do conjunto (Palácio e bloco novo) através de seu pé direito de total de quatro pavimentos.


O bloco novo


Construído em concreto armado aparente, este bloco define o pátio e se funde ao antigo Palácio em uma de suas alas, formando uma varanda em “loggia”, a partir das três colunas remanescentes, no entorno do pátio. As aberturas deste elemento novo de concreto, a exemplo da solução adotada no Palácio, serão de vidro sobreposto ao vão, dialogando com a escala monumental do edifício original.


Internamente, este bloco possui plantas livres para flexibilizar ao máximo seu uso. Estruturalmente o edifício novo “veste” o antigo, dando suporte estrutural às paredes murais existentes. A cobertura do novo edifício será em teto verde, distinguindo-se do telhado do edifício original, mas preservando a escala e o caráter do Palácio.


O futuro Palácio Pereira, uma vez reabilitado para suas novas funções programáticas, será devolvido à população de Santiago para uma nova vida, como mais um importante centro de encontros e convivência.  

Ficha técnica

Autores
Francisco Fanucci, Marcelo Ferraz, Mario Figueroa, Cícero Ferraz Cruz e Marcus Damon

Colaboradores
André Carvalho, Fred Meyer, Gabriel Mendonça, Guilherme Bravin, Julia Reis, Julio Tarragó, Laura Ferraz, Letícia Tamisari, Luiz Fernando O´Leary, Marcelo Gerab, Maria Cláudia Levy, Victor Gurgel e Vinícius Vitoriano

Área
5350 m2

Local
Santiago, Chile

Ver Grande